22 Novembro 2014

Mudar da noite para o dia


































Começar a ver casas recuperadas em que se recorre novamente à telha de lousa para revestimento exterior de paredes, é um bom sinal.
Mudar constantemente de casa é não ter casa nenhuma. 
Voltar a poder estender um trabalho no chão, para o ver na totalidade é conseguir dar-lhe continuidade.
Tomar consciência do quanto as mais pequenas coisas nos condicionam a vida, é quase assustador, lidar com esta certeza também. 
Quando rotina era sinónimo de estabilidade, pede-se à rotina que regresse rapidamente, depois de instalada nós cá estaremos para tratar de a desestabilizar.
Estamos a viver desligados de electricidade. A partir das 17:30h cai a noite, deixamos de ter luz natural e é como se também nos desligassem. Resta-nos acordar mais cedo para prolongar o tempo útil, esperar por Segunda Feira e pelos senhores da EDP que nos hão de iluminar os dias e as noites, que isto de viver às escuras muda-se tão rapidamente como da noite para o dia.
...
Uma casa em todos os sentidos. Uma das muitas que ela faz e eu gosto muito.

16 Novembro 2014

Dias honestos são os que enganam


Gosto especialmente destes dias, assim tal e qual, dias que são o que são. 
Começam com sol, sem nuvens à vista, fazem-nos crer que vão continuar assim até à noite. De repente chove torrencialmente e o chuveiro dura apenas 10 minutos e a seguir está novamente sol e acreditamos outra vez que vai ser um dia bom para passear. 
Engano.
Vamos para a Biblioteca do Palácio de Cristal decididos a apanhar ar puro e trabalhar por umas horas. Chegamos lá e a Biblioteca está cheia, não há tomadas disponíveis para carregar o computador, o ar está demasiado saturado e faz-nos sono... trabalhamos menos do que queríamos e precisávamos.
Engano.
Mudamos de sítio, barulhento e desconfortável, mas o trabalho rende, faz-se mais e tomam-se ainda mais e boas decisões.
Engano.
Chega-se a casa debaixo de frio e chuva. Ficou, assim, intermitente até ao final do dia. Sente-se que foi um dia produtivo e que afinal estivemos sempre enganados e que ser enganado foi bom. 
Gosto destes dias que são assim, inesperadamente enganadores de tão honestos que são. 

08 Novembro 2014

Mercado do Bolhão


Fui atrás do reboliço do mercado e não encontrei muito mais do este silêncio. 
Uma descida que indica o contrário e uma subida que nos leva a descer, parece um evidente indício de fim.