Analogias

28 novembro 2014






























Remexer num passado analógico que vai aprendendo a conviver com este tempo presente. 

Camélias de hoje e camélias de há vinte anos atrás. As mesmas flores, em datas tão distantes como agora as pessoas. 
Cada vez mais atenta a estes acasos, há quem me diga que não o são, não sei, mas são recorrentes na minha história.

As datas importantes registam-se em bordados, uma forma de escrita que perpetua ainda mais, um momento especial. Quando o 17 era um número carregado de significado.

Aos poucos conseguir que o espaço em que se habita se torne também o espaço em que se tem vontade de trabalhar.

2 comentários :

  1. Adoro o ar encantado do Manu ( e as tuas palavras, sempre...)

    ResponderEliminar