22 julho 2011

Das physalis





Já tinha feito compota de Physalis o ano passado e depois da oferta que me fizeram há dias, aproveitei para fazer mais uma vez. Não segui nenhuma receita, mas como dá para sentir que o fruto tem uma grande quantidade de açúcar, decidi usar apenas metade do peso das Physalis, lavadas e inteiras, juntei um pau de canela e levei a lume brando. Ao contrário de outras compotas, esta chega rapidamente ao "ponto" desejado, já que fruto não sendo muito sumarento não produz grande quantidade de calda. A meio do processo decidi separar uma pequena porção que coei, voltando a juntar o fruto na outra parte que continuava ao lume e adicionando um pouco de água, deixei ferver mais um pouco, até que se formasse uma geleia.
O resultado é muito agradável, principalmente para quem não apreciar sentir as sementes que são imensas. Eu gosto mais da compota, gosto de encontrar os pedaços da fruta e acho que as sementes dão um carácter muito especial, além de tornarem a compota mais bonita. Experimentem!
As pegas em feltro, típicas de Nisa, foram-me oferecidas pela minha mãe.

Sem comentários:

Enviar um comentário