15 setembro 2010

Retrosarias


















Quando vivia em Gaia e ainda andava a tirar o meu curso, onde aprendi a modelar e a confeccionar, estas eram as duas Retrosarias a que eu recorria, quando precisava de fazer uma casa, coser um fecho, trabalhos que em casa não solucionava com a minha máquina. Outra vezes quando me faltava alguma coisa, procurava lá, antes de perder tempo numa ída ao Porto. Pelos vistos, mesmo passados todos estes anos, uma ainda está aberta, a outra não consegui saber, tinha a porta fechada e pela janela não consegui ver nada. Esta última era a que eu mais gostava, os donos eram um casal de idosos muito simpático, a Sra arranjava sempre solução para os pequenos problemas que eu lhe levava. Já não há muitas destas casas, em que encontramos o que realmente é necessário, mas ainda as há, onde gostamos de comprar, onde encontramos produtos de qualidade e onde há pessoas que sabem mais do que nós e têm gosto em partilhar o que sabem.

5 comentários :

  1. Longe de ter o teu talento, também gosto muito de visitar retrosarias. Onde vivo só existe uma retrosaria. É muito velha, poierenta, confusa...mas dá aquela sensação que em cada recanto aparecerá um pequeno tesouro esquecido pronto a ser levado para casa.

    ResponderEliminar
  2. Faz parte do mistério dessas casas mais antigas, a possibilidade de, a cada recanto, descobrirmos um pequeno tesouro...

    ResponderEliminar
  3. Em Gaia, eu conhecia as retrosarias todas da Rua Luís de Camões. Ia lá sempre com a minha avó. Que saudades...

    ResponderEliminar
  4. Eu só conhecia estas mais perto de minha casa, mas ía sozinha, já adulta. Com a minha avó recordo as ídas a hortos para comprar plantas, um deles em Gaia, já não me lembro do nome! :-)

    ResponderEliminar