Na ressaca do Natal

04 janeiro 2014



























Surpresa das surpresas, o Natal até nem correu assim tão mal. Assaltada à última da hora por algum espírito deambulante, algumas memórias conseguiram preencher os espaços vazios e com a ajuda do Bolo Rei tudo ficou na paz do Senhor.
Pior, pior, foi passar o ano com a vertigem do abismo de 2013 a assombrar o ano novo e não foi por falta de boa companhia, nem de fogo de artifício (faltaram as passas, mas foi opção, por serem grandes demais deixaram-nos apreensivos), nada salvou a passagem do ano, o que valeu foram os efeitos da ressaca do Natal.
Os cristais de papel ficaram do ano passado (faltou-nos a vontade de recortar uns novos), na minha colecção de bules descobri um que acolhe um génio cheio de génio, a M retrata os contornos da luz em volta dos doces... não há dúvidas que a magia entrou e embrenhou-se na nossa casa. Na lareira crepita a lenha trazida pelo meu pai, uma das árvores plantadas por ele, éramos nós crianças, não resistiu a umas heras que a sufocaram, depois de tantos anos a oferecer a frescura da sua sombra acabou a aquecer-nos a alma e as noites.
Projectos de crochet inacabados e vestígios de um passeio solitário durante a tarde. Chegar a casa e trazer o jardim connosco faz aumentar a colecção e é sempre bom brincar.


5 comentários :

  1. Como sempre, um belo texto com bonitos imagens.
    Espero que 2014 não seja tão sombrio!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Alexandra, um 2014 cheio de luz, esperança e expectativa para ti e para os teus. *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Sara, retribuo tudo de bom* : )

      Eliminar